Sexta-feira, 11 de Novembro de 2005

O ALCATRUZ

noria.jpg

Já não há um só momento
Fora da tua presença
Até chega a ser doença
Um tão grande envolvimento.

Se esta doença é ruim
Nisso nem quero pensar
Seja qual for o seu fim
Apenas quero sonhar!

A sonhar vou passeando
Pelos caminhos da vida
Nem uma hora é perdida
E nem importa até quando.

O que eu não quero é o deserto
Árido devastador
Em que não vinga o amor
E o desespero vem perto.

Qual trobeta mais sonora
Eu canto o que 'stou sentindo
Como alcatruz duma nora
Desço e também vou subindo...

tags: , ,
publicado por Abel às 15:35
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds