Segunda-feira, 24 de Outubro de 2005

O AMOR



Sou frio com muita gente
Caloroso com alguma
E por vezes de repente
Uma pedra se faz pluma.

Amor ódio teimosia:
Ninguém lhes pode fugir
Vive em plena utopia
Quem os julga distinguir.

Sabemos que o amor é cego
Lindo o feio lhe parece
Mesmo vendo faz que esquece
E lhe suporta o carrego.

Ao amor tudo se ajeita
Nada se pode evitar
Melhor é o feio amar
Que sofrer doutra maleita.

Assim sendo sigo em frente
Confiante e ´sperançado
Vivendo bem humorado
Confirmando que sou gente!
tags: , ,
publicado por Abel às 16:55
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds