Quinta-feira, 13 de Outubro de 2005

DE REFLEXIONIBUS



Solenemente proclamo:
Se um dia te puder ver
Não só te direi --- eu te amo
Mas também --- faz-me sofrer...

Não se perdoa o pecado
Da mulher que não pecou
Nem pecará quem deixou
De se sentir obcecado...

Graça divina cimeira
É o amor que prolifera
Numa doce Primavera
Que dura uma vida inteira...

Também é missão divina
Amar e aumentar a prole
Não será digno de estima
Quem o seu dever enrole...

O bem comum desaparece
Se for entregue ao privado
Mas mal gerido plo 'stado
Aos poucos também 'smorece...

Só quem prediz o futuro
Será profeta a valer
Mas será alguém tão puro
Que profeta possa ser?

Mais do que as palavras fúteis
É o silêncio eloquente
Não será homem prudente
Quem diz palavras inúteis...
publicado por Abel às 22:11
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds