Terça-feira, 30 de Agosto de 2005

Ó ALVAR INTELIGÊNCIA



Ó alvar inteligência
De cega nas enxergavas:
Os erros de incontinência
Eram poemas em palavras!

As gralhas, afinal,
São verdadeiros poemas,
Em seu vestido virginal,
Difundidos plas antenas!

Não fora um Tolentino,
Fero, que à estrada se lança,
Seria eu um cretino
Servo da tua ignorância!
publicado por Abel às 15:52
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds