Terça-feira, 16 de Agosto de 2005

AMADOR QUE SE LIMITA



Amador que se limita
a versos parcos e pobres
cria mais que quem agita
alheias poesias nobres.

Esse mal particular
de que nos fala Pascal
será o sim pra agradar
que cai bem, mas que faz mal?

Ilude-nos o orgulho
divide para reinar
na garganta traz engulho
que mal deixa respirar.

Provoca grande embaraço
qual soldado distraído
que, não acertando o passo,
marcha fora de sentido.

É lanterna que nos cega
pois alumia do avesso
mentira que não se nega
uma razão de tropeço...

publicado por Abel às 15:33
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds