Terça-feira, 31 de Janeiro de 2006

O NARCISO



Jesus, mar ou poesia:
De qual precisa o teu egoismo
Pra atenuar o narcisismo
E a vil hipocrisia?

Silêncio?! guarda-o tu
Que, nos ares, cheio de loas,
De ti mesmo tanto ressoas
Como um rei que vai nu...

O silêncio que é de ouro
Cultivas tu em seara alheia
Porque na tua a verborreia
Valeria um tesuoro!

Grande a imaginação!
Que em pouco ou nada se baseia
E que te prende numa teia
Quais grades de prisão...

Fúteis astrologias
E um nevoeiro imaginário
São as marcas do visionário
Preso a vãs fantasias...

Se não têm substância
São palavras ditas à toa
E não é quem as apregoa
Que colhe relevância...

Reais são só as causas
Que te deixam tão deslumbrado
Pois também eu fico espantado
Das tuas belas pausas...

E desses raros temas
Que são cópias escritas em prosa
Dos teus inefáveis poemas
Dum sonho cor de rosa...
publicado por Abel às 15:26
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds