Sexta-feira, 27 de Janeiro de 2006

CONDESCENDEMOS

condescendemos.jpg

Condescendemos
Realçando
As virtudes alheias
Condescendemos
Confessando
As nossas acções feias
Condescendemos
Aceitando
Todo o mérito alheio
Condescendemos
Observando
Erros no nosso seio
Condescendemos
Respeitando
Condescendemos
Não julgando!

publicado por Abel às 15:35
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Janeiro de 2006

A VIZINHA

fronha.jpg

A vizinha do primeiro
Já vem a descer a escada
Tem o passo tão ligeiro
Que nunca chega atrasada!

Tem o passo tão ligeiro
E tão larga é a passada
Que chega sempre primeiro
E nunca lhe custa nada!

E tão larga é a passada
Que já está no rés-de-chão
Sem que se mostre cansada
Ou lhe salte o coração!

As laranjas que ligeiro
Foi colher ao meu quintal
Dei-as à vizinha do primeiro
Pra que não me queira mal!

A fronha não era sua
Mas não perdi a viagem
Comigo trouxe uma imagem
Mais brilhante do que a Lua!

publicado por Abel às 15:52
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Janeiro de 2006

SONHO DESCONFIADO

sonhar.jpg

Numa noite muito agitada
Acordei sobressaltado
Se sonhei não dei por nada
Mas fiquei desconfiado.

Muitas noites se seguiram
Sonhando sempre desperto
Se alguns dos sonhos dormiram
Fora num sono encoberto...

A dormir ou acordado
Eu já sonho a toda a hora
Um sonho desconfiado
Faz parte de mim agora...

publicado por Abel às 15:37
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 7 de Janeiro de 2006

O MOTE

mariadafonte.jpg

Olá Maria da Fonte!
És grande entre as heroinas
O teu nome deu-me o mote
Para umas novas rimas.

Nada haverá que não faça
Pra mais saber sobre ti
E acrescentar ao que ouvi
Da tua bravura e raça...

Tal como as tinha a Padeira
Que era lá de Aljubarrota
E enfrentou gente estrangeira
Que assolava a nossa porta...

Se encontrar algo de novo
Que valha a pena cantar
Cantarei ao nosso povo
Pra te fazer recordar.

Viva a Maria da Fonte
Uma mulher de mão cheia
Na guerra da Patuleia
Rompeu ela o horizonte...
Viva também a Padeira
Que à direita ou à canhota
Teve pazada certeira
Na liça de Aljubarrota...

publicado por Abel às 15:59
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Novembro de 2005

ASSENTEI-ME NUMA PEDRA

cascata.jpg
Assentei-me numa pedra
defronte a uma cascata
observando a refrega
da água que nada acata.

A água precipitada
em brancura saltitante
refresca a alma cansada
do eterno viajante.

As pedras muito lavadas
por esta água batida
trazem esperanças renovadas
que são esperança de vida!

publicado por Abel às 01:45
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 22 de Novembro de 2005

SANTO AVÔ



Se um dia chegar a velho
Olharei bem para trás
Quero enxergar no espelho
Meu avô de amor e paz!

Este belo santo velhinho
Que tanto me acarinhou
Meu avô, meu avozinho,
É Deus que por mim passou!

Quando em casa me deixava
Minha mãe indo pra lida
Meu avô me acompanhava
Preenchendo a minha vida...

Quem tem uma mãe tem tudo
A ela devo o que sou
Mas também o meu avô
Trago em mim desde miúdo!

As histórias de encantar
Contadas pla sua voz
Eu gosto de recordar
Ao sentir-me mais a sós!
publicado por Abel às 21:33
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Novembro de 2005

QUADRAS VÁRIAS



Quem já se encontra a perder
Deseja profundamente
Lhe traga o seu bem querer
A alegria que não sente!

No calor duma lareira
Noutra coisa não penso eu
Numa hora derradeira
Contigo junto à lareira
Eu hei-de chegar ao Céu!

Quanto maior for a subida
Tanto maior é a queda
Uma punição desmedida
Pode levar à própria perda!

Mal saí do meu recato
E já vivo arrependido
E bastante ressentido
Dalguma falta de tacto.

Quando tocam as campainhas
Tudo sai muito melhor
São as palavras rainhas
E brilhante o orador.

Tocaram as campainhas
Graças a Nossa Senhora
As palavras quais rainhas
Honraram a oradora!

Quando tocam campainhas
Dos que sabem redigir
As palavras são rainhas:
Como eu as gosto de ouvir!

Um oceano infinito
Traz consigo a tua voz
Com ela, digo e repito,
Eu nunca me sinto a sós!

Tout à coup j'ai écouté
Desirér bon appetit
Moi, j'avais déjà mangé,
Quand même jái dit grand merci!

A doçura do teu falar
É melodia de uma trova
É água de fonte a brotar
É o amor que se renova!

Voglio dirte , di tutto cuore,
In questo momento opportuno,
Chè son uno verseggiatore
chi già si trova in Auttuno!
 O e-mail é só correio
Que leva e traz informação
Não é um elogio, creio;
Que se peça do pé pra mão!

E, contudo, ainda aposto
Na meia hora seguida
De músicas de que mais gosto
Porque alegram a minha vida!

Permaneço no passado
Quando chego ao fim do dia
E vendo bem me dou conta
De que nada sei de novo
De que nada corrigi
Que soubesse mal sabido...

As mensagens que te envia
Meu coração solitário
São o semi-silêncio
São a semi-solidão
Que rompem o silêncio
Que habitam a solidão
Das outras horas do dia...

Simples se quer a palavra
E moderado o discurso
POrque por si a palavra
Encontra sempre o seu curso!

A lucidez sempre amiga
Não me deixa distrair
E para me não trair
Jamais anda distraída!

No Bilhete de Identidade
Passou Há muito o meu verão
Porém, bendigo a minha idade
Cada vez mais com mais razão!

Falar não é não estar em silêncio
Mas sim dizer o que se quer ou queria
Criar entre as pessoas empatia
Romper o ruído do silêncio!

Estas rimas que sempre fiz
E são versos que não 'scolhi
Não procurei nem pressenti
Alguém mas traz alguém mas diz!






publicado por Abel às 21:13
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 13 de Novembro de 2005

AS ANDORINHAS

andorinha.jpg

Uma luz ao fim do túnel
Pode ser a luz em nós
Se não ficarmos a sós
Em 'scuridão insolúvel.

A brisa fresca ligeira
Numa tarde de calor
Ameniza a soalheira
E enxuga um pouco o suor.

Se for alta uma parede
Que não se possa trepar
Que jamais alguém se enrede
Por deixar de a contornar.

São as malhas duma rede
Ora largas ora 'streitas
As coisas que são bem feitas
Não haverá rede que as vede.

Tristeza e a alegria correm
Lado a lado como iguais
Se umas andorinhas morrem
Logo nascem outra mais!

publicado por Abel às 21:00
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 15 de Agosto de 2005

PROCURAR



Procure bem em seu redor,
procure aquilo de que gosta,
e se a procura for de amor
talvez encontre uma resposta!

Uma saudade que se mata
são carícias ao coração,
procure e estenda a sua mão
mesmo à mão que de si se aparta!

Os caminhos que alguém percorre
muitas vezes são sinuosos,
melhor chega quem sempre corre
pelos que são mais virtuosos!

Procurar bem quem se perdeu
ou se deixou de recordar
é como abrir portas do Céu
pra que o amor lá possa entrar!

Procure o fulgor das fogueiras
que se acendem quando amanhece
logo que o Sol reaparece
sem as nuvens por companheiras!
publicado por Abel às 21:23
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. CONDESCENDEMOS

. A VIZINHA

. SONHO DESCONFIADO

. O MOTE

. ASSENTEI-ME NUMA PEDRA

. SANTO AVÔ

. QUADRAS VÁRIAS

. AS ANDORINHAS

. PROCURAR

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds