Segunda-feira, 21 de Novembro de 2005

PANO DE QUALIDADE

burro.jpg

Do esforço à realidade
Da convicção ao efeito
Vão duas imensidades
Maiores que qualquer sujeito.

Qualidades almejadas
São presas do julgamento
Cinzas jogadas ao vento
De pretenções mal pensadas.

O equilíbrio rejubila
Nas pessoas prevenidas
Contra à queda que aniquila
Das alturas desmedidas.

Além das nuvens sabidas
E de vento forte em rajadas
Também podem trovoadas
Ocorrer nas nossas vidas...

Na interactividade
Desta era em que vivemos
Falar com a vacuidade
Deixa marca de somenos

Usa no campo uma albarda
A burra que na cidade
No corpo traz uma farda
De pano de qualidade!            

publicado por Abel às 15:21
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds