Sábado, 5 de Novembro de 2005

NÃO SEI SE REAPARECE

tormenta.jpg

A minha vida ruiu
E se 'spraiou em tormentas
Desde que ela se sumiu
As minhas horas são lentas.

Recordo-me com saudade
Dos dias em que eu a via
E à noite ainda acordado
Sonhava com o novo dia.

Um porte muito elegante
Ostenta aquela 'strangeira
Falei com ela um instante
Que guardo prá vida inteira.

Os meus dias eram belos
E a vida se reanimava
Quando ela por mim passava
E me provocava anelos.

Agora vivo perdido
Já não sei para onde ir
A vida não faz sentido
Parece que ando a fugir.

Não sei se reaparece
Aquele corpo felino
Pra avivar o desatino
Que dentro de fenece...

tags: , ,
publicado por Abel às 18:20
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds