Segunda-feira, 28 de Novembro de 2005

SEM EMBARAÇO

anca6.JPG

Pudesse eu sem embaraço
Levar a sentir o Céu
O teu corpo num abraço
Todo envolvido no meu.

Levar-te-ia, ó pomba branca,
A te sentir lá no Céu
Encostando a minha anca
À anca do corpo teu.

Imbuídos num mistério
Sempre novo a descobrir
Dar-nos-ia refrigério
O deixar-nos esvair.

Plo amor arrebatados
Que nunca pela razão
Nossos corpos enlaçados
Dariam um corpo são!

O calor da minha fonte
Acenderia, ó minha amada,
As cores do horizonte
Na penumbra da madrugada!

tags: , ,
publicado por Abel às 17:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 27 de Novembro de 2005

A JANELA

janela.jpg

Passei por uma janela
Atrás de cuja vidraça
Uma mulher muito bela
Cativa quem por lá passa.

Voltei a passar por lá
Sem saber porque razão
Andei de lá para cá
Ao ritmo do coração.

Ergui os olhos e vi...
Não podia acreditar
De coração a pulsar
Ali mesmo me perdi.

Mas antes de me perder
Eu entrei no paraíso
Por via do seu sorriso
Que me deixou logo a arder...

Despidos de preconceitos
O início era já fim
Eu em ela e ela em mim
Por caminhos tão direitos...

Era uma linda paisagem
Dois picos e uma vereda
Por onde um homem se enreda
c
omo um animal selvagem...

Rios quentes que corriam
Aqueciam bem os ares
Mas os corpos já diziam
Que o amor traz os pesares...

A vereda me levou
A um destino sem regresso
Ainda hoje eu lhe peço
O amor que por lá ficou ...

publicado por Abel às 21:31
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 25 de Novembro de 2005

OS CAMELOS

camelo.jpg

 

Não é novo de verdade
Nem mais do que uma tolice
Dizer como novidade
O que antes alguém já disse!

No meu quarto de dormir
Pintalgado de amarelo
Vejo a sombra dum camelo
Que me parece a sorrir.

São sobras dum pesadelo
Que me vem tomando à meses
Em que aparece um camelo
A maior parte das vezes.

Advirá esta chatice
Das muitas cousas que eu ouço
Tão cheias de camelice
Que esquecê-las já nem posso?

Camelos livres de bossa
Aos olhos despercebidos
Ficam presos nos ouvidos
Que não são de casca grossa.

Nas imensas atmosferas
Do pensamento profundo
Se esboroam as quimeras
Dos camelos deste mundo!

publicado por Abel às 21:32
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Novembro de 2005

PASSOU BEM?

passoubem.jpg

Como está e passou bem
Diziam os portugueses
Saudar assim alguém
Ouvimos já poucas vezes!

Nem só de pão vive o homem
Também da língua materna
As palavras não se comem
Mas o falar nos governa.

Aprendemos em pequenos
A nossa língua falada
Quem pisa outros terrenos
Da fala não sabe nada...

Até as pequenas aves
Chilreando sobre or ramos
Envergonham os humanos
Falando bem sem entraves!

Perfeitas soam as notas
Entoadas no seu noivar
Se falham ficam remotas
As noivas a conquistar!

publicado por Abel às 16:10
link do post | comentar | favorito

ASSENTEI-ME NUMA PEDRA

cascata.jpg
Assentei-me numa pedra
defronte a uma cascata
observando a refrega
da água que nada acata.

A água precipitada
em brancura saltitante
refresca a alma cansada
do eterno viajante.

As pedras muito lavadas
por esta água batida
trazem esperanças renovadas
que são esperança de vida!

publicado por Abel às 01:45
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Novembro de 2005

SANTO AVÔ



Se um dia chegar a velho
Olharei bem para trás
Quero enxergar no espelho
Meu avô de amor e paz!

Este belo santo velhinho
Que tanto me acarinhou
Meu avô, meu avozinho,
É Deus que por mim passou!

Quando em casa me deixava
Minha mãe indo pra lida
Meu avô me acompanhava
Preenchendo a minha vida...

Quem tem uma mãe tem tudo
A ela devo o que sou
Mas também o meu avô
Trago em mim desde miúdo!

As histórias de encantar
Contadas pla sua voz
Eu gosto de recordar
Ao sentir-me mais a sós!
publicado por Abel às 21:33
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Novembro de 2005

PANO DE QUALIDADE

burro.jpg

Do esforço à realidade
Da convicção ao efeito
Vão duas imensidades
Maiores que qualquer sujeito.

Qualidades almejadas
São presas do julgamento
Cinzas jogadas ao vento
De pretenções mal pensadas.

O equilíbrio rejubila
Nas pessoas prevenidas
Contra à queda que aniquila
Das alturas desmedidas.

Além das nuvens sabidas
E de vento forte em rajadas
Também podem trovoadas
Ocorrer nas nossas vidas...

Na interactividade
Desta era em que vivemos
Falar com a vacuidade
Deixa marca de somenos

Usa no campo uma albarda
A burra que na cidade
No corpo traz uma farda
De pano de qualidade!            

publicado por Abel às 15:21
link do post | comentar | favorito
Domingo, 20 de Novembro de 2005

PARABÉNS

parabens.jpg

Neste dia dos teus anos
Tomarei por atitude
O desfazer dos enganos
A que a minha mente alude...

Quero que sejas feliz
Comigo sempre a teu lado
Sincero como um petiz
Por ti muito enamorado!

Parabéns eu te desejo
E mais posso desejar
De coração dou-te um beijo
De amor te vou abraçar!

Que os dias sejam risonhos
Que tudo em que te empenhares
Seja o florir dos teus sonhos
Mesmo dos que não sonhares...

Se o sonho comanda a vida
Minha vida é comandada
Plo sonho da minha amada
Parabéns minha querida!

publicado por Abel às 20:58
link do post | comentar | favorito
Sábado, 19 de Novembro de 2005

MEU PAI

abraco.jpg

Embora sendo o “velhote”
És o meu bom companheiro
E me levas a reboque
Plo caminho mais certeiro!

Pai aparece nas horas
Felizes ou de amargura
Com falas animadoras
Se preciso --- de censura...

Teu exemplo hei-de seguir
'Scolhendo sempre o melhor
Tu, meu pai, serás mentor
Em tudo o que eu decidir...

Não me esquecerei dos ralhos
Que a vida não são só rosas
Às situações perigosas
Tu lhes cortaste os atalhos...

Falar de ti pouco faço
Do muito que tu tens feito
Encontro no teu teu abraço
Um amor são e perfeito!

publicado por Abel às 21:26
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

DAR À VIDA UMA RAZÃO

cabaz2.jpg

É tão fundo o teu cabaz
Que nunca mais fica cheio
Nem nunca mais se desfaz
Esse teu eterno enleio...

Qualquer desvio que seja
Perturba a tua cabeça
Sem que o que faço mereça
Uma atenção que se veja...

Penar penando na vida
Andei eu a vida inteira
Agora já na descida
Esta vez é derradeira!

Olha bem para que vejas
O que fará mais sentido
Se um amor meio entretido
Se uma entrega ao que desejas...

Refrear no coração
O desejo de viver
Será viver sem saber
Dar à vida uma razão!

tags: , ,
publicado por Abel às 15:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds