Terça-feira, 18 de Outubro de 2005

FANTASMAS



Em princípio acredito
Nas pessoas com que lido
Não raro desiludido
Dou o dito por não dito...

Ouço palavras que aludem
A uma coisa qualquer
Mais parecendo que iludem
O que procuram dizer...

Em dúvida mais que em ´sperança
Induzem o meu espírito
No qual algo assaz empírico
Acorda a desconfiança...

O engano mora logo
Ali ao virar da ´squina
Quem depressa se fascina
Mais depressa cai no logro...

Sempre as mesmas como as lesmas
As vias muito discretas
Das mensagens indirectas
Mais não são do que abantesmas!
publicado por Abel às 23:25
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds