Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2006

O LUNÁTICO

metrica.jpg

Não quero falar de versos
Isso já passou à história
Assuntos muito complexos
Não são prá minha memória...

Não quero saber da métrica
Dá-me cabo do juízo
Pra cantar minha poética
Da métrica não preciso...

Meus versos são geniais
Posso dizer em voz alta
As regras gramaticais
Não me fazem qualquer falta...

Não são alucinações
Isto não é fantasia
Nem sequer uma mania
Componho e canto canções...

Se os autores mais famosos,
Pla métrica subjugados,
Fossem como eu engenhosos
Mandavam-na prós diabos...

publicado por Abel às 15:22
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.links

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. LÍNGUA PORTUGUÊSA

. PORTO CAMPEÃO

. CABEÇA LEVANTADA

. AOS QUE VÊM LÁ DO LESTE

. AS HORAS

. PRIMAVERAS

. POEMAS DE RIMA CERTA

. UM LAMPIÃO

. A CHUVA

. O ENCURVADO

.arquivos

. Outubro 2015

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds